Woodstock, o crepúsculo dos Hippies

Para alguns foi o marco final de uma era. A música começou na tarde de 15 de Agosto de 1969, sexta-feira, às 17:00h e continuou até à manhã do dia 18 de Agosto.

O Festival de Woodstock, tal como alguns eventos históricos, tornou-se uma espécie de herança cultural, para os EUA e para o resto do mundo. Assim como “Watergate” representa uma crise nacional e “Waterloo” representa derrota, “Woodstock” tornou-se um adjectivo imediato que denota o poder dos jovens e os excessos dos anos 60.

Na Casa Branca, estava instalado Richard Nixon, que incorporava os clichés do governante reaccionário em velhos moldes. E o que Woodstock significou, no fundo, foi a rejeição dos Estados Unidos a tudo o que Nixon representava. Nada expressou tão bem essa rejeição como a guitarra de Jimi Hendrix, tocando o hino nacional entre-cortado pelos sons de bombas.

O festival deveria ocorrer originalmente na pequena cidade de Wallkill, mas os moradores não aceitaram, o que levou o evento para Bethel, a uma hora e meia de distância.

O Festival surgiu dos esforços de quatro homens. Michael Lang, John P. Roberts, Joel Rosenman e Artie Kornfeld. Roberts e Rosenman, que entrariam com a parte financeira, colocaram um anúncio sob o nome de Challenge International, Ltd., no New York Times e no Wall Street Journal (“Jovens com capital ilimitado buscam oportunidades de investimento legítimas e interessantes e propostas de negócios”). Lang e Kornfeld responderam o anúncio, e os quatro reuniram-se inicialmente para discutir a criação de um estúdio de gravação em Woodstock, mas a ideia evoluiu para um festival de música e artes ao ar livre.

Mesmo considerado um investimento arriscado, o projecto foi montado tendo em vista retorno financeiro. Os bilhetes passaram a ser vendidos em lojas de discos e na área metropolitana de Nova York, ou via correio através de uma caixa postal. Custavam 18 dólares ou 24 dólares se adquiridos no dia. Aproximadamente 186.000 ingressos foram vendidos antecipadamente, e os organizadores estimaram um público de aproximadamente 200.000 pessoas. Não foi isso que aconteceu, no entanto. Mais de meio milhão de pessoas compareceram, derrubando cercas e tornando o festival um evento gratuito.

Este fluxo repentino provocou congestionamentos imensos, bloqueando a Via Expressa do Estado de Nova York e eventualmente transformando a área de Bethel numa “área de calamidade pública”. As instalações do festival não foram equipadas para providenciar saneamento ou primeiros-socorros para tal multidão, e milhares de pessoas viram-se a lutar contra o mau tempo, o racionamento de comida e condições mínimas de higiene.

Embora o festival tenha sido reconhecidamente pacífico, dado o número de pessoas e as condições envolvidas, houve duas mortes registadas: a primeira resultado de uma provável overdose de heroína, e a outra após um atropelamento de tractor. Houve também dois partos registados (um dentro de um carro preso no engarrafamento e outro num helicóptero).

Muitas foram as bandas e artistas que passaram pelo festival ao longo dos dias. Richie Havens, Ravi Shankar, Melanie, Joan Baez, Country Joe McDonald, John Sebastian, Santana, Creedence Clearwater Revival, Janis Joplin, The Who, Jefferson Airplane, Joe Cocker, The Band, Crosby, Stills, Nash & Young, Jimi Hendrix, entre outros.

Houve também bandas e artistas que por razões várias recusaram ou cancelaram as actuações.

The Beatles: O site woodstockstoriesss.com.br apresenta duas alternativas para a recusa dos Beatles. A primeira é que os organizadores teriam contactado John Lennon, e ele disse que a banda só tocaria se a Plastic Ono Band, conjunto do qual ele também fazia parte, também pudesse tocar. O site afirma que a explicação mais plausível é que Lennon queria tocar, mas a sua entrada nos Estados Unidos a partir do Vietnã foi bloqueada pelo presidente Truong Tan Sang. De qualquer modo, os Beatles estavam prestes a separar-se, e inclusive não tocavam ao vivo havia três anos, desde agosto de 1966.

The Doors: considerados como uma alternativa, Os Doors cancelaram a sua actuação no último momento; de acordo com o guitarrista Robbie Krieger, eles recusaram pois pensaram que aquela seria mais uma “imitação de segunda categoria do Monterey Pop Festival”. Outro factor foi que o vocalista Jim Morrison estaria inseguro para se apresentar á frente de grandes plateias. O baterista John Densmore no entanto compareceu no festival, e no filme pode ser visto no palco durante a apresentação de Joe Cocker.

Led Zeppelin: também foram convidados, de acordo com seu empresário Peter Grant: “Fomos chamados para tocar em Woodstock e a Atlantic gostou da ideia, assim como nosso promotor nos EUA, Frank Barsalana, mas eu disse não pois em Woodstock seríamos apenas mais uma banda”. Ao invés disso o grupo embarcou em uma bem-sucedida turnê de verão, tocando naquele mesmo fim-de-semana no Asburi Park Convention Hall em New Jersey. 

The Byrds: foram convidados, mas escolheram não participar pensando que Woodstock não teria nada de diferente dos outros festivais musicais que estavam acontecendo naquele verão. Também estavam preocupados com o cachê, de acordo com declarações do baixista John York: “Estávamos indo pra um espetáculo e Roger McGuinne chegou e disse que havia uns tipos organizando um festival no norte de Nova York, mas que naquela altura já não estavam pagando as actuações. Ele perguntou se queríamos ir, e todos responderam, ‘Não, queremos descansar’. Não fazíamos ideia de como aquilo seria. Estávamos esgotados, e também cansados daquela coisa de festivais. Então recusamos, e perdemos o melhor festival de todos”.

Bob Dylan: estava contratado para tocar, mas desistiu depois do filho ficar doente. Ele também estava insatisfeito com o número de hippies acampados perto da sua casa, no local onde o festival ocorreria originalmente. 

Joni Mitchell: estava agendada para tocar, mas cancelou pois o seu empresário temia que ela perdesse uma participação no programa de TV The Dick Cavett Show. 

O festival do amor e da paz viria a render lucros para os seus organizadores, que ganharam com os áudios e vídeos produzidos sobre o evento. Na lembrança, permanece a imagem de um mar de lama preenchido pelo lixo deixado pelos participantes: a chuva que caiu em Woodstock só fez reforçar o mito.

 

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *