Na noite em que os Beatles conheceram Elvis

É por demais conhecida a adoração dos Beatles por Elvis Presley. Já do lado de Elvis, as coisas não eram bem assim. O Rei não tinha grande simpatia pelos Beatles, tratava-se afinal de quatro miúdos Ingleses que na altura ameaçavam o seu reinado.

No entanto, em 27 de Agosto de 1965, durante a digressão Americana dos Beatles, foi combinado um encontro entre Tony Barrow, assessor de imprensa do grupo e o Coronel Tom Parker, empresário de Elvis.

Não foi fácil marcar este encontro, tanto Elvis como o Coronel Tom Parker vinham sistematicamente adiando o encontro e foram precisos três dias de intensos contactos para que o encontro se realiza se em Bel Air. Elvis tinha acabado de filmar Blue Hawaii e estava numa casa alugada em Bel Air com o seu pessoal.

«O encontro estava sujeito a regras bem definidas. Não podíamos pressionar para que o encontro ocorresse, tínhamos de esperar que aparecesse uma data em que Elvis estivesse disponível para nos receber. Não podíamos tirar fotos, nem realizar qualquer tipo de gravação» relembrou Barrow anos mais tarde.

Jonh Lenon diria na altura, “Se havia uma pessoa nos Estados Unidos que nós realmente queríamos conhecer, essa pessoa era Elvis Presley“. Nós simplesmente o idolatrávamos. A primeira vez que ouvi Heartbreak Hotel, eu mal podia escutar o que estava sendo dito. Foi uma experiência auditiva que me deixou de cabelos em pé. Nós nunca tínhamos ouvido um americano cantar daquele maneira. Eles cantavam sempre como o Sinatra.

Elvis recebeu-nos tranquilamente e levou-nos para uma sala grande e redonda. Notei que Paul, George e Ringo estavam nervosos, como eu também estava. Aquele era o homem que idolatrávamos durante anos. Ele era uma lenda e nunca foi fácil encontrar lendas”.

Paul, John e Ringo, sentaram ao lado de Elvis e George sentou-se com as pernas cruzadas, no chão. Depois de algum tempo, Elvis tentou quebrar o silêncio e fazer com que os quatro rapazes se sentissem  em casa. “Se vocês vão ficar aqui só olhando para mim eu vou para a cama”, disse. “Não queria que isso acabasse com um bando de súditos visitando o rei. Pensei que íamos descontrair, conversar sobre música e tocar um pouco”.

Em declarações ao “Guardian”, Tony Barrow, acessor de imprensa dos Beatles, recorda este encontro. John Lennon entrou a matar: “O que é feito do velho Elvis rock”n”roll?” Elvis, que então se limitava a cantar as bandas sonoras dos seus (maus) filmes, sorriu, mas não respondeu. O ambiente só desanuviou quando o quinteto se viu de instrumentos na mão. Tocaram clássicos rock”n”roll, clássicos de Elvis, e um par de canções dos Beatles.

Por volta das 2 da manhã, os Beatles saíram. Levaram consigo discos do Elvis, um coldre de arma com um cinto de couro em ouro e uma luminária de mesa, cortesias do Rei. Quando estavam prontos para sair, Paul disse, ‘Elvis, gostaríamos que você viesse assistir ao nosso concerto de amanhã à noite.’ ‘Bem, vamos, ver’, Respondeu Elvis. ‘ Não sei se poderei, mas obrigado da mesma forma’.

Este encontro faz parte da mitologia da música, aconteceu a 27 de Agosto de 1965 e os Beatles estiveram reunidos com Elvis entre as 21:00 horas e as 02:00 da manhã.

Escrita na Net Produção de artigos e textos. Linguagem simples e em regime pré-acordo ortográfico. Capacidade de organização e cumprimento de prazos. Excelente comunicação escrita. Sentido de responsabilidade.

Partilhar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *